Exportação de frango recua 8%, mas Brasil ainda é líder

16 de Março de 2015

O Brasil deve fechar o ano com uma queda de quase 8% nos volumes exportados de carne de frango e com um recuo de 12,7% na receita com as vendas externas do produto, estimou ontem a Associação Brasileira dos Exportadores de Frango (Abef). O recuo é reflexo da retração da demanda por carne de frango em países da Europa, Ásia e Oriente Médio, no início deste ano, em decorrência dos surtos de gripe aviária.

A estimativa da Abef é encerrar o ano com embarques de 2,620 milhões de toneladas contra 2,846 milhões em 2005. A receita deve sair de US$ 3,509 bilhões em 2005, para US$ 3,065 bilhões este ano. Segundo o presidente da Abef, Ricardo Gonçalves, o resultado no caso dos volumes foi até melhor do que o esperado. "Achávamos que a queda seria de 10%", afirmou. As perdas com a receita ficaram dentro do previsto pela associação.

Ele acrescentou que o recuo em receita deve ser expressivo por conta do preço médio mais baixo na exportação. Em 2006, a cotação média da tonelada ficou em US$ 1.230 e deve fechar em US$ 1.170 este ano. Os preços começam a se recuperar, mas Gonçalves considera que "há poucas possibilidades de voltarem aos níveis de 2005". 

Entre janeiro e novembro deste ano, as exportações brasileiras recuaram 4,8%, para 2,475 milhões de toneladas. O valor das vendas foi de US$ 2,9 bilhões, 7,72% menos que em 2005. O resultado este ano também foi afetado pelo real valorizado, de acordo com o presidente da Abef. "O dólar continua sendo fator de distúrbio".

Apesar da redução dos embarques, o Brasil segue como líder no ranking dos exportadores de frango, tanto em volume quanto em receita, à frente dos Estados Unidos. Dados das vendas americanas até setembro - disponibilizados pela Abef - mostram que os EUA embarcaram 1,7 milhão de toneladas no período, ante 1,9 milhão de toneladas do Brasil. Em receita, o país exportou US$ 1,350 bilhão no período ante US$ 2,260 bilhões vendidos pelo Brasil. Dados compilados pelo site especializado em avicultura Avisite mostram que os EUA embarcaram 1,952 milhão de toneladas até outubro. No mesmo período, o Brasil exportou 2,191 milhões de toneladas.

"O Brasil continua como líder porque as vendas caíram para todo os países [exportadores]", afirmou o presidente da Abef.

Segundo ele, a perspectiva é de um aumento nos volumes em 2007, com vendas de 2,8 milhões de toneladas (ainda abaixo de 2005). A previsão é que a receita alcance US$ 3,3 bilhões, também ainda abaixo de 2005. A expectativa é voltar a crescer no Oriente Médio e que o Brasil comece a vender para a Malásia, mercado que pode como ser um passaporte para entrada em outros países muçulmanos.

Durante a coletiva à imprensa, Gonçalves reclamou de uma "campanha de difamação" em tevês européias, que recentemente acusaram o Brasil de usar substâncias cancerígenas na criação de aves. (AAR) 

Fonte: Valor Econômico

Mais Notícias

23
Jan 2017

As 500 maiores da Dinheiro Rural

A CIALNE foi eleita pela Revista Dinheiro Rural uma das 500 melhores empresas do agronegócio.
16
Mar 2015

Importação de lácteos caiu na comparação mês a mês

Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC)...
09
Mar 2015

Mercado prevê Selic de 13% ao ano em 2015.

Em semana de reunião do Comitê de Política Monetária (Copom)...
09
Mar 2015

Dilma defende ajustes econômicos feitos pelo governo.

A presidenta Dilma Rousseff defendeu neste domingo (8/3)...
09
Mar 2015

Presidente da CNA recebe diretoria da Girolando

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins da Silva  
05
Mar 2015

Fim do sistema de cotas preocupa produtores de leite na França

De acordo com os organizadores, cerca de 200 criadores passaram pelo espaço...
27
Feb 2014

Seca na Califórnia.

Seca na Califórnia gera perdas e afeta emprego na agricultura.
27
Feb 2014

Referência em genética em MS.

Referência em genética em MS cria ração para encurtar ciclo da pecuária.
27
Feb 2014

Paralisação de caminhoneiros causa morte de 1,5 milhão de pintinhos no PR

A paralisação de caminhoneiros no Paraná, responsável pelo bloqueio de 40 pontos no interior seg

Fundada em 1966 por Francisco de Araújo (Dico Carneiro), a Companhia de Alimentos do Nordeste – Cialne, é uma empresa que atua no ramo da agroindústria: avicultura e pecuária, gerando aproximadamente mais de 4.000 empregos.

 

Contatos

   sac@cialne.com.br
   Fone: +55 85 3477-2700
   SAC: 0800 075-4800
   Av. Presidente Costa e Silva, 2067 - Mondubim - Fortaleza/CE - Brasil

Mantenha-se Conectado